Arquivos da categoria: Fonoteca

Aleatórias II

Ponteio
Compositores: Edu Lobo e Capinan
Álbum: Moleque (Child)
Artista: Ulisses Rocha

Moleque (Child)

Excelente arranjo. O Ulisses tem um toque inconfundível, num repertório que mexe com jazz, choro, MPB… É a personificação do músico instrumental brasileiro. Mais sobre a música: Ponteio, em MPB CifraAntiga.

6 Pieces of 1724 Book – Le Rappel des Oiseaux
Compositor: Jean-Philippe Rameau
Álbum: The 1970’s BBC Recordings
Artista: Duo Abreu – Sérgio e Eduardo Abreu

The 1970’s BBC Recordings

Na minha opinião, uma das melhores interpretações do duo. Virtuosismo, ritmo vivo, precisão, perfeccionismo. É uma pena que depois de alguns anos como concertistas, o duo resolveu parar de fazer apresentações. A história do duo é impressionante. Um ótimo resumo da vida dos dois está aqui – Programa XVII – Sérgio e Eduardo Abreu.

Aleatórias

Bachianas Brasileiras no. 5
Compositor: Heitor Villa-Lobos
Álbum: Trem Caipira
Artista: Egberto Gismonti

Trem Caipira

Até os dois minutos e alguns segundos, eu estava adorando a interpretação. Acho que falta um pouco disso em música dita erudita, arranjos diferentes que são tão bem vistos em obras “populares“. Até esses dois minutos era piano solo, com a exposição de motivos da original do Villa-Lobos indo e voltando, bem interessante. Mas aí veio um tipo de coisa que o Egberto gosta, mas eu não vejo graça: teclados, sintetizadores, guitarras com efeitos… Uma pena!

Bananeira
Compositores: Gilberto Gil e João Donato
Álbum: Estação Leopoldina
Artista: Paulo Moura

Estação Leopoldina

Ótimo arranjo. Instrumentação legal, com percussão marcante e uma cuíca que modestamente faz sua parte e dá outra cor à música.

Estudo em Mi Maior
Compositor: Francisco Tárrega
Álbum: Tárrega – Integral de Guitarra
Artista: David Russell

Tárrega - Integral de Guitarra

É um estudo bastante curto (25 segundos), mas é o tempo suficiente para o escocês David Russell mostrar sua técnica em arpejos. Limpeza incrível e ótimo contorno de fraseado.

10 Grandes Álbuns

Aqui vai a lista de 10 Grandes Álbuns que eu julgo dignos de receberem muitos aplausos e parabéns. CD’s com as melhores interpretações, melhores composições, melhores arranjos. Não são só de violão solo, são os que eu mais ouço no geral. Não vou colocar em ordem, porque todos são excelentes.

10 CD's

  • The Great Paraguayan – Guitar Music of Barrios. Gravado por John Williams, veja a resenha aqui.
  • Catavento e Girassol. Composições geniais de Guinga, com toda a personalidade da voz de Leila Pinheiro.
  • Paganini – 24 Caprices. Gravado pelo Elliot Fisk, de um virtuosismo impressionante. Às vezes um pouco sujo, mas espetacular.
  • Água de Beber. CD do Quarteto Maogani, excelentes arranjos para músicas de Tom Jobim e suas fontes.
  • Sérgio and Odair Assad Play Piazzolla. Muito bom, o tango contagiante do Piazzolla combinado com a empatia e personalidade do duo brasileiro.
  • Choro Elétrico. Ótimos arranjos de choros feitos pelo grupo 4×0 para uma formação elétrica – guitarra, baixo, bateria e piano. Um disco inovador na minha concepção de que choro era tocado só por regionais e similares…
  • Mozart: Réquiem. Obra-prima de Mozart gravada por Kathleen Battle, Ann Murray, David Rendall e Matti Salminen formando o quarteto solista, Orquestra e Coro de Paris, sob a regência de Daniel Barenboim.
  • Raphael Rabello & Dino 7 Cordas. Ótimo, Raphael mostrando sua técnica, agilidade e limpeza de som como solista enquanto o pai do violão de 7 cordas costura os acordes com suas baixarias.
  • Valsas Brasileiras. Marco Pereira demonstrando sua grande habilidade tanto na beleza dos arranjos quanto na técnica violonística, que não ofusca sua expressividade em momento algum.
  • Vibrações. Jacob do Bandolim apresenta choros que se tornaram grandes clássicos a partir deste CD.

Essa não será a única lista de 10 CD’s que eu postarei aqui no blog, essa lista contém apenas um décimo dos álbuns que eu pretendo postar. De pouco em pouco, chego lá.

The Great Paraguayan – Guitar Music of Barrios

The Great Paraguayan - Guitar Music of Barrios

John Williams foi quem “descobriu” Agustin Barrios Mangoré. “Descobriu” porque foi quem ouviu as composições desse grande músico paraguaio e percebeu a riqueza sonora ali presente. Gravou em 1977 um disco inteiramente dedicado a Barrios, feito que rendeu a Barrios um grande reconhecimento no exterior. A música não-européia era bastante discriminada, e Barrios surpreende com composições belíssimas – ora de caráter virtuosístico, ora cheias de temas sentimentais e melancólicos, ora poéticas, ora intricadas. Todas de uma criatividade sem precedentes.

Williams nesse disco resgata em 1994 algumas das composições de Barrios, e reafirma a qualidade musical desse grande gênio. Embora em algumas passagens mais dramáticas eu o considere um tanto artificial, sua técnica impecável e clareza torna esse disco um dos mais belos que já ouvi.

Destaques:

  • Las Abejas e La Catedral, pela execução impecável.
  • Valsa no. 3, Choro da Saudade e Una Limosna por el Amor de Dios pela beleza melancólica da composição e trêmolo perfeitamente nítido da terceira composição.
  • Maxixa e Cueca, pela grande inspiração popular que move a música.

Não consegui resumir os destaques, este disco é simplesmente demais. É daqueles pra se ficar ouvindo, e ouvindo, e ouvindo de novo… Top 10 da minha lista que publicarei mais tarde.

The Segovia Collection I – Bach

A proposta dessa nova série, Fonoteca, é a discussão sobre os vários CD’s de violão erudito. Pretendo adquirir o maior número possível desses CD’s e postar aqui no blog minhas impressões, o que me agradou e o que não agradou. Faz parte da proposta que os leitores também comentem, para haver uma troca de conhecimento. Então me ajude e faça sua parte!

Acabo de adquirir The Segovia Collection, uma coleção de 9 CD’s com músicas gravadas pelo grande violonista Andres Segóvia. Consegui pelo blog do Helder Bello, que faz um trabalho muito legal de disponibilizar sua fonoteca e publicar para que todos possam ter acesso. Vou começar falando do disco 1, que contém diversas obras de Johann Sebastian Bach.

Bach é um autor difícil de se comentar. Nenhum dos intérpretes pôde conversar com o compositor para discutir se o que ele está realizando está de acordo com as idéias da peça, então só sobra o registro escrito. Embora a partitura seja um meio muito prático e fácil de se escrever e ler música, há tópicos subjetivos demais para que a escrita represente uma idéia sonora em sua totalidade. Algumas das obras desse CD eu estou estudando, e faria diferente em vários pontos, sobretudo na questão de ter uma respiração maior e mais enfática em determinados fraseados. Em outras, Segovia faz jus ao título que lhe é dado, o Papa do violão. Um timbre de polegar incrível, uma descomunal limpeza e constância no fraseado. Contrastes muito bem colocados, com uma intenção musical segura. Ornamentos claríssimos, equilíbrio perfeito entre agudos, médios e graves.

Destaques:

  • Faixa número 10, a Sarabande da Suíte no. 3 para Violoncelo, pela incrível expressividade.
  • Faixa número 16, a Chaconne da Partita para Violino no. 2. Impressionante. Sem palavras.